Autor: Diego Junqueira Stevanato

Ação desinfetante do peróxido de hidrogênio

Por Cesar Hironata Nakao e Fabrício Salvador Vidal Publicado em 02 de janeiro de 2019   Segundo Mattos, 2003 o peróxido de hidrogênio é um líquido viscoso transparente, com odor característico, não inflamável e miscível com água. É um composto bactericida, esporicida, fungicida e com capacidade de também eliminar os vírus. Ele age atacando a membrana lipídica, o ácido desoxirribonucléico e outros componentes essenciais à vida da célula (Kalil and Costa, 1994). A reação do peróxido de hidrogênio com o íon superóxido (O2-) forma um poderoso oxidante, o radical hidroxil (OH•), que é altamente reativo e pode atacar a...

Leia mais

Cordylophora caspia: Um invasor incrustante

Por Raíssa Vitória Vieira Leite Publicado em 07 de novembro de 2018   A Cordylophora caspia é uma espécie aquática, originaria do Mar Cáspio e Mar Negro. Trata-se de um hidrozoário eurialino, encontrado desde ambientes marinhos até estuários e águas continentais. Esse hidróide sobrevive a diferentes faixas de temperaturas, variando entre 5 ºC e 30 ºC. Entretanto, sua temperatura ótima para crescimento e desenvolvimento está entre 18 ºC e 26 ºC, podendo oscilar de acordo com a região e salinidade da água. A C. caspia apresenta reprodução do tipo sexuada e assexuada, onde a partir daí, pode ocorrer a...

Leia mais

Resposta Imune Humoral de Moluscos Bivalves

Por Fabrício Salvador Vidal Publicado em 18 de outubro de 2018   O cultivo de moluscos bivalves, no panorama mundial da aquicultura é crescente (FAO, 2016) e, aliado a este crescimento, aumentam, também, os riscos relacionados à saúde desses organismos. O fato de serem animais filtradores, filtrando grandes volumes de água diariamente, faz com que se tornem vulneráveis à ação de agentes estressores existentes no ambiente. Considerando a classificação estabelecida por Cooper (2010), o sistema imune pode ser dividido em três categorias: Barreiras externas: atuam impedindo a entrada de agentes patogênicos atuando, normalmente, como uma primeira linha de defesa....

Leia mais

Amyloodinium ocellatum

Por Felipe Kacham de Carvalho e Diego Junqueira Stevanato   A ocorrência de parasitoses em peixes é limitante para o desenvolvimento da aquicultura em todo o mundo. Os peixes, de forma geral, são hospedeiros intermediários de inúmeros parasitos, organismos esses que expoliam o hospedeiro, podendo provocar altas taxas de mortalidade quando não tratadas a tempo. Entre os principais problemas encontrados hoje, a amiloodiniose precisa ser encarada com mais cautela, pois traz sérios riscos à saúde dos peixes. Ela é uma doença causada pelo Amyloodinium ocellatum (NOGA e LEVY, 2006). Este protozoário é citado como um dos mais importantes parasitos...

Leia mais
Parcerias
FIEP AZUL petrobras cnpq logo ufpr ifet seti seti seti