Por Cesar Hironata Nakao e Fabrício Salvador Vidal

Publicado em 02 de janeiro de 2019

 

Segundo Mattos, 2003 o peróxido de hidrogênio é um líquido viscoso transparente, com odor característico, não inflamável e miscível com água. É um composto bactericida, esporicida, fungicida e com capacidade de também eliminar os vírus. Ele age atacando a membrana lipídica, o ácido desoxirribonucléico e outros componentes essenciais à vida da célula (Kalil and Costa, 1994).
A reação do peróxido de hidrogênio com o íon superóxido (O2-) forma um poderoso oxidante, o radical hidroxil (OH•), que é altamente reativo e pode atacar a membrana lipídica e o DNA da célula (Abreu, 2001). Podendo ser facilmente eliminado por aquecimento ou pela ação da enzima catalase (Abreu, 2001 apud Block, 1991).
O peróxido de hidrogênio é bastante versátil e é utilizado para as mais diversas finalidades. Em países desenvolvidos, o H2O2 é utilizado para tratamento de águas, esgostos e efluentes industriais há algumas décadas (Mattos, 2003). E de acordo com Teixeira, 2008 o H2O2 oferece vantagens em relação ao cloro pois a utilização deste pode deixar resíduos prejudiciais ao meio ambiente. Enquanto que aquele forma produtos inócuos na água.
Além disso, o custo com peróxido de hidrogênio em relação ao cloro é notadamente menor e sua aplicação é mais simples e segura podendo ser aplicado diretamente na água através de bombas dosadoras (Teixeira,2008).

 

MATTOS, Ivanildo Luiz de et al. Peróxido de hidrogênio: importância e determinação. Química nova, p. 373-380, 2003.

DE MEIRELLES KALIL, Erika; DA COSTA, Aldo José Fernando. Desinfecção e esterilização. Acta Ortop Bras, v. 2, n. 4, p. 1, 1994.

ABREU, Laura Figueiredo et al. Avaliação de processo de sanificação química de garrafas plásticas para sistemas assépticos. 2001.

ALBERTO CESAR TEIXEIRA, Luiz. Tratamento de águas de refrigeração com peróxido de hidrogênio. Quim. Nova, v. 31, n. 7, p. 1851-1855, 2008.