Por Nathieli Cozer

Publicado em 13 de julho de 2016

 Capturar.JPG

Para verificar se os peixes embalados e vendidos nos supermercados correspondem, de fato, ao que consta no rótulo, ou seja, se a espécie informada é realmente a descrita na embalagem, fiscais federais e agentes de inspeção do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) fizeram uma fiscalização em pescados comercializados em vários estados brasileiros, com objetivo de detectar possíveis fraudes.

Amostras de peixes na forma de filé, postas, pedaços, entre outras, foram coletadas nos principais mercados do Distrito Federal e dos estados do Rio de Janeiro, Paraná, São Paulo, Ceará, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Pará e levadas para o laboratório Nacional Agropecuário (LANAGRO) de Goiânia, do Ministério da Agricultura. No laboratório, as 149 amostras de pescado nacional e importado, foram submetidas ao teste de DNA para verificar se as informações genéticas da amostra estavam em conformidade com a espécie descrita no rótulo. 

Após analisar os resultados, a Divisão de Inspeção de Pescado e Derivados do MAPA divulgou que 15% das amostras de pescado (22 amostras) correspondiam a espécies diferentes das descritas no rótulo. Entre os peixes mais fraudados, está o bacalhau do Porto (Figura 1) (Gadus morhua), geralmente substituído por espécies de menor valor como a polaca do Alasca (Theragra chalcogramma) (Figura 2) e o linguado (Paralichthys sp.), substituído pelo panga (Pangasianodon hypophthalmus), uma espécie de peixe que é vendida pela metade do preço.

 

Figura_1.jpg

Figura 1: Filé de Bacalhau do Porto. Fonte: Manual de inspeção para identificação de espécies de peixes.

figura_2.jpeg

Figura 2: Filé de Polaca do Alasca. Fonte: www.sgalimentos.com.br

 

As empresas fornecedoras de pescados fraudados, receberão multa, de aproximadamente, R$ 15 mil e a determinação de que os produtos em estoque só poderão ser novamente comercializados após análise de um fiscal federal agropecuário. Para contribuir com a fiscalização agropecuária e com o controle de qualidade de pescados, a Secretaria de Defesa Agropecuária do MAPA lançou, no mês de março de 2016, um manual de inspeção para identificação de espécies de peixes (Figura 3). 

figura_5.jpg

Figura 3: Manual de Inspeção. Fonte: Manual de inspeção para identificação de espécies de peixes.

 

O Manual, segundo o MAPA, é um mecanismo para apoiar as instituições de fiscalização governamentais na prevenção de substituiçõe  de espécies e perdas econômicas e ainda, garantir os direitos dos consumidores brasileiros.

 

Referências Consultadas

http://www.agricultura.gov.br/comunicacao/noticias/2016/02/fisis-fzem- pe-ninl- p-mbte- fude-em- pesds

http://www.agricultura.gov.br/comunicacao/noticias/2016/02/lbti-d- mp-eebe-msts-de- peixes-sb- suspeit-de- fude

http://www.agricultura.gov.br/comunicacao/noticias/2016/03/fisis-fedeis-identifim-fude- em-pesds- -vend- em-supemeds- d-pis

http://www.agricultura.gov.br/comunicacao/noticias/2016/03/mnul-identifi-espeies-de- peixes-p- jud-n- mbte– fude