Vieira (Nodipecten nodosus)

Os pectinídeos estão entre os moluscos que apresentam maior valor comercial, tanto no mercado interno quanto internacionalmente. Na maioria dos casos, a produção extrativa encontra-se próxima ao seu limite máximo de exploração e o único caminho para a expansão da oferta passa obrigatoriamente pela maricultura, que no presente já participa com cerca de 75% do total da produção mundial (Rupp & Bem, 2004). No mercado interno a oferta de vieiras ainda é mínima e o produto costuma ser encontrado apenas em poucas lojas de conveniência de produtos de luxo, alguns supermercados de grandes centros urbanos e em restaurantes requintados, onde são comercializados por altos preços. Além da carne, as conchas das vieiras também podem ser comercializadas como produto de interesse para a confecção de artesanatos.

Existem catalogadas 15 espécies de pectinídeos no país (Fonseca, 2004), das quais somente três são consideradas viáveis para a maricultura, devido ao porte que atingem, sendo que Nodipecten nodosus é a espécie que apresenta maior potencial para a maricultura pela facilidade com que pode ser cultivada; pela rapidez com que atinge o tamanho comercial (60-80 mm); pela grande aceitação de mercado e pelo alto valor comercial.

Há registros de cultivo de N. nodosus nos seguintes municípios do Rio de Janeiro: Angra dos Reis, Armação dos Búzios, Arraial do Cabo, Cabo Frio, Itaguaí, Mangaratiba, Niterói e Parati; em Santa Catarina: Bombinhas, Florianópolis, Penha, Piçarras e Porto Belo (SEAP/PR, 2009). Moschen (2007) também menciona a realização de cultivos de vieiras no Paraná, São Paulo, Espírito Santo e Bahia.

[widgetkit id=48]

Bueno, R. S. 2007. Crescimento e sobrevivência da vieira Nodipecten nodosus (Linnaeus, 1758), (Mollusca: Pectinidae) em diferentes estruturas de cultivo na Praia Grande do Bonete, Ubatuba, litoral norte de São Paulo. Dissertação (Mestrado do Programa de Pós-graduação em Aquicultura e Pesca do Instituto de Pesca – APTA – Secretaria de Agricultura e Abastecimento), 47 p.

Fonseca, M. L. 2004. Anatomia funcional de Nodipecten nodosus (Linnaeus, 1758) (Bivalvia: Pectinidae). Tese de doutorado, Instituto de Biociências, Universidade de São Paulo, 173 p.

Moschen, F. V. A. 2007. Análise tecnológica e socioeconômica do cultivo de moluscos bivalves em sistema familiar na Baía da Ilha Grande, Angra dos Reis, RJ. Jaboticabal, 113p. (Tese de Doutorado. Universidade Estadual Paulista, Centro de Aquicultura, SP).

Rupp, G. S. & Bem, M.M. 2004. Cultivo de Vieiras. pp. 289-308.  In: C. R Poli, A.T.B. Poli, E.R. Andreatta e E. Beltrame (Eds). Aquicultura. Experiências Brasileiras. Multitarefa Editora Ltda. 454 p.