Produção Integrada na Aquicultura

Por Diego Junqueira Stevanato

Publicado em 28/10/14

O princípio para produção integrada tem como base a utilização máxima dos recursos naturais em torno de determinado produto, otimizando a produção com o aproveitamento dos resíduos gerados no processo produtivo, reduzindo assim o lançamento de agentes prejudiciais ao ambiente.

Em Março de 2013, o Decreto-Lei que estabelece princípios e orientações para prática da produção integrada sofreu alterações, surgindo novas diretrizes para a base de implantação desse modelo produtivo dentro do setor primário brasileiro. Essa, segue o conceito “sustentabilidade”, mais, com bases voltadas a gestão dos recursos ambientais, bem como a regulação do ecossistema, bem-estar animal, fomento a biodiversidade, estabilidade ambiental, preservação dos recursos naturais, qualidade do produto, além da minimização dos efeitos prejudiciais ao ambiente.

Ainda não existe nenhum modelo comprovado de produção integrada dentro do setor aquícola, os modelos consolidados hoje no mercado são voltados ao setor agrícola, baseados na agricultura com rotação de culturas, manejo dos solos e outros. Podemos lembrar que grande parte de tudo que introduzimos no solo, ainda mais quando manejados de forma imprópria, todo resíduo sofre lixiviação e segue para os leitos de córregos e rios. Isso, indica que, para se introduzir uma aquicultura com base a produção integrada, de forma sustentável e voltada a preservação dos recursos naturais, o modelo deve, além de salientar a gestão voltada ao setor aquícola, compreender todo processo produtivo ao seu redor, como por exemplo a gestão envolvida na parte da pecuária e agricultura.

 figura1 2

Figura 1 – A esquerda, peixes utilizados no policultivo no sul do país. A direita, criação de tilápias e camarão de água doce em propriedade particular no Vale do Paraíba (2008).

Os modelos já empregados no setor da aquicultura, principalmente na piscicultura da região sul e sudeste do país, têm como bases processos ditos como partes fundamentais para o modelo integrado de produção, citando como exemplos o consórcio e o policultivo de peixes. Outro sistema empregado, porém pequeno, é o sistema de recirculação fechado para produção de peixes e hortaliças e no sul, o sistema de cultivo de peixes nos canais alagados para produção de arroz.

Um ponto fundamental para implantação de modelos integrados de produção é o planejamento, crucial e essencial em qualquer setor produtivo, responsável, em grande parte, pela elaboração, execução, acompanhamento de planos e gestões produtiva.

figura2 2

Figura 2 – Modelo esquematizado de gestões ligadas ao setor aquícola para base da produção integrada..

 No modelo para produção integrada da aquicultura, podemos citar além da gestão de resíduos, gestão financeira, gestão ambiental já utilizados em outros setores de produção de alimentos, a nutrição dos peixes, o fomento a novas tecnologias aquícolas, fomento a preservação das reservas naturais, capacitação profissional, e toda gestão envolvendo ao manejo e qualidade da água.

Outro ponto importante é a ligação da produção com os processos de beneficiamento e comercialização dos produtos aquícolas. Na proposta do modelo integrado, por exemplo, grande parte dos resíduos gerados na produção de peixes, poderiam servir como base nutricional na produção de outros organismos, como moluscos e algas, assim, lançando menor aporte residual ao meio.