Faça você mesmo – Parte 1

Autores:

Diogo Barbalho Hungria

Diego Stevanato Junqueira

Publicado em: 25/04/2016

capa1

 

Filtro para aquários

A saúde do meio aquático depende, dentre outros, da intensa relação de trocas e sequestros de compostos tóxicos por microrganismos presentes na água e principalmente nas superfícies de substratos.

Em um sistema natural, substratos com galhos, árvores, pedras e conchas são ambientes propícios para a fixação de bactérias benéficas (aerobiontes) para a saúde e manutenção da água. Em um ambiente artificial, seja ele um tanque, uma caixa ou um aquário, proporcionar ambientes de fixação é fundamental para a fixação dessas bactérias, e para isso, deve-se fornecer diferentes substratos, principalmente no sistema de filtragem.

Uma questão relacionada a esses tipos de substratos é o custo e a quantidade de manutenção que o mesmo gera ao longo dos anos. Uma alternativa usada por nós integrantes do GIA, é a substituição de elementos comerciais por objetos recicláveis. O fundamento da fixação das bactérias é fornecer a maior superfície de contato pelos substratos. Para isso, nós fornecemos diferentes materiais como substrato aos nossos sistemas, garantindo assim maiores benefícios aos peixes.

Para filtrar mecanicamente o mais comumente utilizado é o perlom ou manta acrílica que pode ser substituída por outros materiais que sirvam como um tipo de peneira, como espumas, buchas, tecidos de sisal etc., basicamente a ideia é ter uma peneira que retire do sistema as partículas mais grossas de matéria orgânica, como restos de comida.

O filtro biológico geralmente é feito com biobolas e cerâmica porosa que podem ser substituídas por tampas de garrafa PET (Fig. 1), pedra brita ou por materiais encontrados em estabelecimentos em demolição como resto de concreto, reboco ou tijolos quebrados (Fig. 2). A ideia é simples, quanto maior a superfície de contato melhor, ou seja quanto mais poroso e irregular for o material melhor. O único cuidado que se deve ter é para não utilizar materiais que liberem substancias químicas na água que possam vir a prejudicar a qualidade da água afetando diretamente e indiretamente toda a biologia da água.

fig1

Figura 1 – Substituição do BioBall (comercial) por tampas de garrafa pet (reciclável).

 fig2

Figura 2 – Substituição de anéis de cerâmica por pedra brita.

Já o sistema para armazenar esses materiais filtrantes pode ser feito dos mais diversos materiais, como em nosso exemplo (Fig. 3), utilizamos uma garrafa PET para construir um filtro para um aquário pequeno.  A ordem que tem que ficar os materiais tem grande influência na eficiência e na praticidade de manutenção do seu filtro, portanto como na Figura 3 coloque primeiro a pedra brita (ou outro material que a substitua), depois as tampas de garra PET e por último o material que está utilizando como peneira.

 fig3

Figura 3 – Sistema de filtragem completo utilizando uma garrafa pet, pedras britas, tampas recicláveis e um pedaço de espuma.