O GIA tem se destacado no Brasil tanto na formação e na qualificação de pesquisadores quanto como um núcleo de excelência no desenvolvimento e aplicação de ferramentas técnico-científicas para:

•    O estabelecimento de programas de desenvolvimento socioambiental e de resgate cultural;

•    A geração de renda junto às comunidades litorâneas tradicionais a partir da pesca, da aquicultura, do turismo e do artesanato;

•    O planejamento e apoio à formulação de políticas públicas;

•    No zoneamento marinho e continental para a instalação de empreendimentos aquícolas;

•    O desenvolvimento de projetos comerciais de aquicultura (produção e o cultivo de organismos aquáticos);

•    O manejo e o uso sustentável de recursos aquáticos;

•    A avaliação, no monitoramento e na adoção de medidas de mitigação de impactos ambientais;

•    A quantificação e valoração de danos ambientais;

•    O zoneamento e planejamento de programas de ocupação e desenvolvimento territorial;

•    A recuperação de ambientes degradados/alterados; 

•    A identificação de patologias de organismos aquáticos;

•    O desenvolvimento de ferramentas genéticas de última geração para avaliação e resolução de problemas ambientais e sanitários.